Me Add?
Me Segue?

Livro: Além da Percepção

sábado, 19 de novembro de 2011


Sinopse: Imagine se existisse um lugar onde você pudesse ter acesso a um conhecimento infinito, às mentes mais brilhantes do Universo, humanas ou não, encarnadas ou não. Um local onde sua mente pudesse estar conectada, como uma estação de rede as todas as memórias e conhecimentos adquiridos por estas criaturas, e lá você pudesse compreender os grandes mistérios do Universo.
Alguém como você, que trabalha e vive numa grande cidade, Belo Horizonte, longe do mar, com um projeto para uma viagem de férias. Sua experiência, entretanto, irá muito além, indo ao encontro de uma intrigante descoberta capaz de abalar a ciência, a religião e a visão da humanidade a respeito de Deus e do Cosmos.



Comentário: Gente, essa sinopse me enganou direitinho! Eu achei que fosse uma daquelas histórias super intrigantes e cheias de reviravoltas, na qual você só consegue entender tudo no último capítulo. Mas não. Nem de longe foi assim.
Sei lá, a história central até que é boa, mas a forma como ela foi contada não me agradou. Demorou uma eternidade pra chegar ao ápice. E quando chegou eu nem percebi!
No fim fiquei com a impressão de que se eu tivesse um cromossomo Y acharia o livro muito melhor.
Por que será que homens têm tanto tesão por sexo entre lésbicas?
Alguém aí tem tesão em ver dois homens se pegando? Porque eu não.

E outra coisa que eu não gostei foram os nomes. Ora, se você quer ambientar sua história no Brasil, não faz o menor sentido os personagens se chamarem Victor, Margie e Wendy!

Mas admitindo que o livro foi super bem escrito e levando em consideração que é apenas o primeiro romance do Amauri Casagrande, eu avalio como razoável e até indico, para os rapazes não muito românticos que por ventura leiam esse post.

Beijo, beijo :*

20 comentários:

  1. neyara disse...:

    Nossa, acho que pelo visto eu também não vou gostar do livro =/
    Enfim... Tbm não sinto tesão por dois homens se pegando, uhauha
    Beijo

  1. Lari disse...:

    Bemm, eu não tenho nada contra livros com lésbicas ou gays :D Acho fofinho e normal. Mas se ele é chato, então realmente isso estraga tudo.
    Realmente: Wendy e Margie no Brasil? Que amor à pátriamhein :o ahuoishauiohsa
    Beeijos <3

  1. Mary disse...:

    É, não me parece muito interessante, não... :S
    Beijos

  1. @amaliaprade disse...:

    Não me atrai também hehe

  1. Bianca Moraes disse...:

    É.. não me conquistou pela capa. Daí fui ler o seu comentário e o livro não entrou na lista! :P
    É ruim quando uma sinopse engana a gente assim desse tanto, né?

    :)

    Beijinhos!

  1. Bruna Tenório disse...:

    Tá aí um livro que não entrará para minha lista. Por isso que gosto de ler resenhas, ajudam muito!


    Menina Encanada

  1. marcela disse...:

    Olha não faz meu estilo mas eu leria assim mesmo. Sou daquelas que gosta de falar mal com propriedade hehehe
    beijos!

  1. naomemandeflores disse...:

    Certamente não é o meu tipo de livro! Obrigada pelo aviso sobre a história, acho que vou deixar passar esse romance!


    Camila Faria

  1. Lari disse...:

    É. Acho que esse vou deixar passar.
    HAHAHAHAHA

    beeijocas

  1. Vanessa disse...:

    Vou confessar que achei essa sinopse muito psicodélica. Não me atraiu não ahahaha

  1. Cáh disse...:

    Oii !
    O livr não é tão bom assim, e isso é chato né? É ruim quando um livro não corresponde nossas expectativas :S
    Fiquei roxa de vergonha quando você falou "Alguém aí tem tesão em ver dois homens se pegando? Porque eu não.", porque por mais estranho que pareca, eu tenho sim kkkkkkkkkkk ador ver cenas românticas entre duas pessoas do mesmo sexo. Gosto porque mostra a diversidade do mundo e que pra ser 'bonito de ver' não precisa ser um homem e uma mulher.
    Adorei o post.
    Obg pelo comentário.
    Bjs <3

  1. ~/Camila disse...:

    Ainda não li esse livro e acho que num fiquei mto afim de ler não uahauahau.
    bjOos

  1. Vinicius disse...:

    Oi, tudo bem? Eu li a sinopse, mas achei essa história meio "besta", sabe? Tipo, não achei muito interessante... Ah, eu tenho tesão em ver dois homens se pegando, mas duas mulheres eu acho muito estranho HAHAHAHA'

  1. Lari disse...:

    Oie, Jé! Passei pra dizer que tem post novo lá no blog <333
    Beeijos.

  1. Mari disse...:

    Meu Deus... qdo li a sinopse achei que era outra coisa... algo mais profundo.. mas pelo que vc flou é meio sem sal nem açucar hahaahha enfim... a livros e livros, mas acho bacana um livro ambientado em BH acho q nunca tinha visto um hahaa

    bjo

  1. Biialou disse...:

    Oiie Jéssyka,
    hum o livro não me chamou neeeem um pouco a atenção, começando pela capa, e depois de ler a sinopse e seu comentário eu já exclui ele da lista de possibilidades. hahahahaahaha
    Odeio histórias sem graça =p

    Obrigada pela visita!
    xoxo

  1. Thay disse...:

    Olá!
    Hummm, a sinopese não me cativou. Mas claro que não dá pra julgar um livro apenas por essas poucas palavras. E concordo com o que você disse sobre os nomes: mesmo que existam, de fato, pessoas com nomes estrangeiros por aqui, o melhor mesmo é utilizar de alguma coisa mais brasileira, cairia melhor. :)
    Beijo!

  1. Yuu disse...:

    Alguns livros realmente nos enganam pela sinopse e pela capa. Quando a febre por vampiros estava começando, fui totalmente engada pelo primeiro volume de Diários do Vampiros, acredita? Justo uma série que todos parecem adorar, não me cativou nem um pouco! E com o preconceito estabelecido, também não desenvolvi nenhum interesse pela série, apesar de todas as tentativas. São coisas que acontece. Por outro lado, li O Código Da Vinci sem expectativa nenhuma, e este acabou se tornando um dos meus livros favoritos. :)

    Beijos.

  1. :: Loma disse...:

    Hey ^^

    Gostei da dica e olha que sou chata, até outro dia estava a dizer que estou ficando uma velha chata kkk pelo fato de nada muito recente agradar-me... foi tão complicado colocar Gaga e Adele na minha vida hahaha
    Estou curtindo muito Jessie J - depois de trocentos posts. Realmente adorei a dica o estilo Rock-suave qual gosto, nada de berros e gritaria.

    Xxx

    :: Loma

  1. Victor Cesar disse...:

    Olá, aqui é o humilde cara que quando bem jovem escreveu a obra em questão. As críticas são verdadeiras, pois se fosse uma boa obra, teria feito um sucesso relevante. Mas alguns comentários são equivocados. Embora a história não seja real, as características e nomes dos mesmos são reais, e refletem pessoas do meu convívio na ocasião. Assim, Victor, Wendy e Margie são pessoas brasileiríssimas. Lembramos que nosso país é muito diverso. Outro equívoco, porém, é mais aborrecido. Lá estava eu em uma balada no início da década de 80, tempos de Dancing Days, quando de repente, vi em um cantinho qualquer, uma garota linda que eu conhecia (e até paquerava!) beijando outra, algo incomum naqueles anos. Em minha inocência, era a primeira vez que via algo assim, e de fato me marcou. Era algo sensual, mas muito mais que isso. Era também um abraço quente, carinhoso, acolhedor, íntimo, com um visível sentimento de entrega entre duas pessoas lindas, e uma cena bonita. Jamais vi algo tão doce quando há um representante do sexo masculino envolvido. Assim, respeitei de verdade a cena, e a relação que de forma grosseira chamamos homossexual. Lamento de fato que décadas se passaram e a cabeça das pessoas ainda mantém uma visão preconceituosa. Mas o objetivo do livro não foi abordar ou questionar tais relacionamentos, até por que, como eu disse, eu os respeito. O objetivo foi imaginar que há pequenas brechas ou falhas nesse Universo, deixadas propositalmente durante sua criação, importantes para nosso desenvolvimento, como por exemplo uma “caverna mágica”. E como outras oportunidades, não foi bem aproveitada. Acho que não fui feliz, pouca gente teve percepção disso.
    Lembro-me que o título original era “A Caverna Mágica”. O Editor sugeriu que mudássemos para “Além da Percepção”. Um infeliz paradoxo.
    Agradeço a todos pelos comentários construtivos, vou cuidar para que seja melhor da próxima vez, deixando claro que não sou um escritor profissional, mas apenas alguém que escreve (às vezes) nas horas vagas, por paixão, e é claro, não vivo disso. Até pelo contrário. São tão medíocres os créditos de um escritor (e tão difíceis de serem recebidos), que abri mão dos mesmos.

    Amauri

Postar um comentário